Armas de fogo impressas em 3D são uma realidade cada vez mais próxima.

Cody Wilson, empunhando a sua invenção.

Cody Wilson, empunhando a sua invenção.

Assim como acontece com qualquer outra tecnologia em desenvolvimento, há pessoas que a utilizam para o bem e outras que preferem avançar por campos mais destrutivos. Em 2013 o americano Cody Wilson, fundador da Defense Distributed, causou muita controvérsia ao divulgar o sucesso de seu primeiro projeto: a pistola Liberator, uma arma impressa em 3D com capacidade para disparar apenas um tiro. Inicialmente Wilson disponibilizou o arquivo STL de impressão da arma para download, sendo logo forçado a removê-lo pelo governo dos Estados Unidos, mas não antes de ser baixado por algumas centenas de pessoas. “Uma vez na internet, para sempre na internet” e apesar dos esforços do governo americano os arquivos ainda estão disponíveis em alguns lugares da rede.

O arquivo da Liberator foi removido do site Thingiverse em poucos minutos.

O arquivo da Liberator foi removido do site Thingiverse em poucos minutos.

Mais de dois anos se passaram e Wilson surge na mídia novamente, dessa vez prometendo disponibilizar para impressão o seu mais novo projeto: uma réplica de rifle AR-15 semiautomático. O que mais assusta são os valores, que segundo Wilson giram em torno de USD$150,00 em materiais para cada rifle, algo ridiculamente barato em comparação à arma “de verdade”. Em contrapartida, a impressora 3D necessária para realizar a impressão custa nada menos de USD$21.000,00, tornando inviável uma produção em baixa escala.

Réplica de AR-15 impressa em 3D produzida pela Defense Distributed.

Réplica de AR-15 impressa em 3D produzida pela Defense Distributed.

Wilson diz querer lançar os arquivos na internet até Abril de 2016, caso o governo americano permita. Talvez esses arquivos nunca se tornem disponíveis, mas se a batalha contra a pirataria ensinou alguma coisa é que evitar a difusão de algo na web é quase impossível.